Olimpíada Brasileira de Robótica segue nesta quarta-feira com desafios das etapas regionais

A Olimpíada Brasileira de Robótica (OBR), etapa estadual, segue durante todo o dia desta quarta-feira (30), na Praça do Povo do Espaço Cultural José Lins do Rêgo, no bairro de Tambauzinho. A competição, que acontece das 8h às 18h, está sendo organizada pela Prefeitura de João Pessoa, por meio da Secretaria de Educação e Cultura (Sedec), em parceria com o Governo da Paraíba, e vai até a quinta-feira (31).

Ao todo, estão participando 239 equipes, formadas por grupos de quatro alunos e um professor mentor, de escolas da rede pública (municipal e estadual) e da rede privada da Paraíba. Destas, 71 equipes fazem parte da Rede Municipal de Ensino.

Já no primeiro dia de competição, no primeiro nível, foram classificadas 20 equipes, sendo que as três primeiras colocações foram escolas da Rede Municipal de Ensino. A equipe Baymax da Escola Municipal Violeta Formiga foi a primeira colocada, seguida pelas equipes Roboteen 1 e 4 da Escola Municipal José de Barros Moreira.

O representante da OBR na Paraíba, Fagner Ribeiro, explicou as próximas atividades que serão feitas até esta quinta-feira. “Iniciamos a OBR nesta terça-feira com 120 equipes em dois níveis e seguimos nesta quarta com as etapas regionais de mais 119 equipes. Nesses dois dias, estamos selecionando as equipes para a grande final, que acontece nesta quinta-feira”, destacou.

Nesta quinta-feira, serão premiados os três primeiros colocados do nível 1 (Ensino Fundamental) e nível 2 (Ensino Médio). Além das vagas dos primeiros colocados para a etapa nacional, que acontecerá em Salvador (BA), de 07 a 12 de outubro, as três equipes vencedoras de cada nível recebem medalhas e troféu da etapa estadual.

Como forma de reconhecimento à dedicação dos participantes haverá as medalhas de premiações extras para as equipes que se destacarem nas seguintes categorias: melhor escola pública, privada, programação, maker, dedicação, inovação, robustez e design.

Desafios – O participante tem a missão de montar e programar um robô que, de forma autônoma, deve atuar como ‘Bombeiro’ no desafio de Resgate.

A arena simula um ambiente de desastre e os robôs devem superar obstáculos, falhas no percurso, uma rampa com inclinação de até 20°, passar por um portal e serem capazes de identificar e resgatar uma vítima.

A novidade deste ano é que o formato de arena que está sendo utilizada (onde os robôs competem) é semelhante à da etapa Nacional, com ladrilhos e duas áreas de resgate (verde e vermelha), além de gangorra.

A Olimpíada Brasileira de Robótica tem um total de 58 voluntários alunos da Universidade Federal da Paraíba, de cursos variados de tecnologia, que têm a função de juízes de arenas avaliando as equipes no campeonato.

últimas notícias

Categorias

Redes Sociais