Centro de Referência da Mulher de João Pessoa completa 16 anos com mais de sete mil atendimentos

O Centro de Referência da Mulher Ednalva Bezerra, administrado pela Prefeitura de João Pessoa, completou neste mês de setembro 16 anos prestando acolhimento e assistência a mulheres vítimas de violência doméstica. Para celebrar a data desse importante serviço, a Secretaria Extraordinária de Políticas Públicas para as Mulheres (SEPPM) realiza, nesta quinta-feira (28), um evento voltado exclusivamente para as usuárias da rede de atendimento. Serão oferecidos serviços de saúde, terapias holísticas, cuidados com a beleza, além de palestras sobre os direitos das mulheres.  

“Ao longo desses 16 anos de história, o Centro de Referência da Mulher Ednalva Bezerra já atendeu mais de sete mil mulheres. E, felizmente, nenhuma delas entrou para as estatísticas de feminicídio. Então, vemos o peso e a importância desse serviço para a sociedade. São mulheres que encontram no ente público o apoio e o suporte necessários para deixar esse ciclo de violência”, comentou a secretária de Políticas Públicas para as Mulheres, Nena Martins.  

Segundo a coordenadora do Centro de Referência da Mulher Ednalva Bezerra, Liliane Oliveira, o espaço realiza, em média, 250 atendimentos por ano. São mulheres, acima de 18 anos, que foram vítimas de violência psicológica, física, patrimonial e/ou sexual. Elas chegam à rede de atendimento de forma espontânea ou por encaminhamento de algum outro serviço, como hospitais e ONGs.  

“O Centro de Referência da Mulher é um lugar de prevenção, fortalecimento, encaminhamento e acompanhamento. Quando essa mulher vítima de violência chega até nós, ela é atendida por uma equipe multidisciplinar, que envolve advogada, psicóloga e assistente social. O primeiro passo é entender o caso dessa mulher, para orientá-la no que for pertinente a sua situação”, explicou a coordenadora.  

Essa orientação pode ser desde o acompanhamento a uma delegacia, para que seja prestada a denúncia contra o agressor, até o encaminhamento para cursos profissionalizantes, para a inserção dessas mulheres no mercado de trabalho.  

“Os casos que atendemos são diversos. Há mulheres que são vítimas de violência sexual, onde fazemos toda a assistência junto ao hospital para que ela receba os cuidados adequados. Em outros, há uma demanda social por moradia, em que auxiliamos essa mulher para que ela tenha onde morar. E em muitos casos, a vítima é dependente financeira do agressor. Então, nós também assistimos essa mulher para ela se emancipar financeiramente”, acrescentou Liliane Oliveira.  

A secretária Nena Martins revelou que, no início de 2021, o Centro de Referência da Mulher Ednalva Bezerra estava com uma fila de espera com 80 mulheres aguardando acolhimento devido à equipe multidisciplinar reduzida. “Com a gestão do prefeito Cícero Lucena, logo conseguimos zerar essa fila, pois o prefeito autorizou a contratação de novas profissionais para que pudessem atender as demandas do Centro”, esclareceu, acrescentando que “a divulgação dos serviços do Centro de Referência da Mulher é fundamental para que mais vítimas de violência saibam que podem agir, pois elas terão uma rede de apoio”.  

Serviço – O Centro de Referência da Mulher Ednalva Bezerra funciona de segunda à sexta, das 8h às 17h, na Rua Afonso Campos, nº 111, no Centro. O telefone para atendimento é 0800-283-3883. E para denunciar qualquer tipo de crime contra a mulher, os canais são: 180 – Central de Atendimento à Mulher (nacional); 153 – Ronda Maria da Penha (municipal); 190 – Polícia Militar; e 197 – Polícia Civil.  

últimas notícias

Categorias

Redes Sociais