Centro de Referência da Mulher Ednalva Bezerra celebra 16 anos com atendimento especial a vítimas de violência

Centro de Referência da Mulher Ednalva Bezerra celebra 16 anos com atendimento especial a vítimas de violência

O lilás ditou a cor no evento em comemoração aos 16 anos do Centro de Referência da Mulher Ednalva Bezerra (CRMEB). É que a Secretaria Extraordinária de Políticas Públicas para as Mulheres da Prefeitura de João Pessoa preparou um espaço especial para oferecer serviços de saúde, terapias holísticas e autocuidado às usuárias em situação de violência doméstica e familiar atendidas pelo CRMEB. A ação foi realizada nesta quinta-feira (16).

“Hoje é um momento especial de cuidado com a mulher. Um dia de beleza para elas relaxarem, interagirem socialmente e para que possam se empoderar cada vez mais. O Centro de Referência da Mulher Ednalva Bezerra tem muito a celebrar, pois é esse espaço público de acolhimento que faz a diferença na vida de milhares de mulheres vítimas de violência”, destacou a secretária Nena Martins.

As usuárias que participaram da comemoração dos 16 anos do CRMEB puderam aferir pressão, relaxar com massoterapia, realizar manicure, aprender sobre cuidados com a pele e receber orientações jurídicas. Além disso, também foram distribuídos kits de higiene pessoal.

De acordo com a coordenadora do Centro de Referência da Mulher Ednalva Bezerra, Liliane Oliveira, de janeiro de 2021 a julho de 2023, o espaço atendeu mais de 340 mulheres vítimas de violência. Ao longo desses 16 anos, mais de sete mil mulheres foram assistidas pelo CRMEB.

“O mais importante é saber que essas mulheres que foram até o Centro de Referência não entraram para as estatísticas de feminicídio. Isso é muito gratificante. É saber que esse serviço faz a diferença na vida de milhares de mulheres, que elas procuraram ajuda antes que acontecesse o pior na vida delas”, comentou Liliane Oliveira. Para a coordenadora, o Centro de Referência da Mulher Ednalva Bezerra é um lugar fortalecedor, apesar do histórico de dores por trás de cada vítima de violência.

“São mulheres que chegam debilitadas emocionalmente e fisicamente. E a gente saber que esse lugar é de acolhimento, que ninguém aqui vai julgar essa mulher, por qualquer razão que seja por ela ainda estar com esse agressor. Nosso papel é fortalecê-la, para que ela dê o primeiro passo para sair do ciclo de violência”, enfatizou.

Foi o caso da vítima “X”, uma das usuárias assistida pelo Centro de Referência da Mulher Ednalva Bezerra. Usamos a letra “X” para resguardar a identidade dessa mulher. Ela contou que demorou muitos anos para pedir ajuda, porque sequer enxergava que estava presa num ciclo de violência.  

“Foram muitos anos recebendo panfletos sobre violência doméstica até eu agir em favor de mim mesma. Hoje eu tenho as profissionais do Centro de Referência como anjos em minha vida. Por isso, eu peço que quem tiver passando por qualquer tipo de violência, não se cale, não fique com essa angústia, esse medo, essa vergonha. Eu dou graças a Deus por esse serviço existir e por ele ter me dado coragem para agir. Eu resgatei a força dentro de mim e sei que por aí há muitas mulheres fortes também”, compartilhou.

Para realização do evento, a Secretaria de Políticas Públicas para as Mulheres contou com o apoio da Secretaria Municipal de Saúde; da Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope), do Instituto Nacional de Desenvolvimento Humano (Inadh); da Associação Brasileira das Mulheres de Carreira Jurídica (ABMCJ); da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Paraíba (OAB-PB); da Associação Recreativa e Cultura; e da Rede de Proteção do Roger.

Serviço – O Centro de Referência da Mulher Ednalva Bezerra funciona de segunda à sexta, das 8h às 17h, na Rua Afonso Campos, 111, no Centro. O telefone para atendimento é 0800-283-3883. E para denunciar qualquer tipo de crime contra a mulher, os canais são: 180 – Central de Atendimento à Mulher (nacional); 153 – Ronda Maria da Penha (municipal); 190 – Polícia Militar; e 197 – Polícia Civil.  

últimas notícias

Categorias

Redes Sociais