Guarda Civil Metropolitana participa de encontro técnico no Ministério da Justiça e Segurança Pública

A Guarda Civil Metropolitana de João Pessoa participou, durante três dias, do 1º Encontro Técnico Nacional sobre Câmeras Corporais e Segurança Pública no Brasil. O evento aconteceu até esta quinta-feira (31), no Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP), em Brasília (DF), e reuniu representantes de diversos órgãos e entidades ligadas à segurança pública.

O diretor de videomonitoramento da Secretaria de Segurança Urbana e Cidadania (Semusb), Marciano da Silva Pereira, representou a Prefeitura de João Pessoa no encontro. O evento fez parte da construção do Projeto Nacional de Câmeras Corporais, cujo objetivo é qualificar as evidências criminais e proteger os policiais e os cidadãos em interações cotidianas.

“Esse é o primeiro encontro que acontece para debater o tema que é muito atual. O nosso diretor do Centro de Videomonitoramento é a pessoa mais indicada para participar deste debate que tem por objetivo promover discussões acerca de aspectos operacionais e éticos dos dispositivos eletrônicos, assim como também debater sobre o uso de câmeras corporativas no âmbito da segurança pública”, afirmou João Almeida, secretário de Segurança Urbana e Cidadania da Capital.

Para o diretor do Centro de Videomonitoramento da Guarda Civil Metropolitana de João Pessoa, Marciano da Silva Pereira, a segurança pública vive um novo momento e se faz necessário o conhecimento mais aprofundado dos agentes de segurança quanto aos equipamentos eletrônicos que acompanham e trabalham junto com a segurança pública.

“É um momento de aprendizado, de compartilhar conhecimento, de discutir como a tecnologia pode trabalhar a favor da sociedade, de mãos dadas com a segurança pública. Nosso centro de videomonitoramento na Guarda é inovador, pioneiro na capital paraibana, e nele conseguimos entender e observar na prática a tecnologia aliada à segurança e voltaremos para João Pessoa com muito conhecimento técnico na bagagem”, observou.

A programação contou com palestras e painéis de especialistas em segurança pública e tecnologia de câmeras corporais; compartilhamento de boas práticas e experiências bem-sucedidas na implementação do aparato em diferentes instituições de segurança pública e discussões sobre normas e políticas para a utilização eficaz e ética de câmeras corporativas.

Entre as instituições presentes, estavam o Conselho Nacional dos Comandantes-gerais de Polícia Militar; Federação Nacional de Sindicatos de Guardas Municipais; Conselho Nacional das Secretarias de Segurança Pública; Conselho Nacional de Chefes da Polícia Civil; Conselho Nacional dos Corpos de Bombeiros Militares; e Conselho Nacional do Ministério Público.

O preceito de pacto federativo estabelecido pelo Sistema Único de Segurança Pública (Susp) prevê integração dos órgãos de segurança e inteligência federais, estaduais, distritais e municipais e padronização de informações, estatísticas e procedimentos.

“Essa não é uma discussão de governo, mas, sim, de Estado e de ciência. A gente tem trabalhado com evidências técnicas. O nosso desafio central é a consolidação do Sistema Único de Segurança Pública, transformar o financiamento em política pública estruturada, que una desde a Guarda Municipal até os setores de inteligência. O Susp não fica em pé de cima para baixo, já que é uma relação de confiança mútua. É isso que vai fazer com que a gente consiga enfrentar os imensos desafios que temos”, defendeu Ricardo Cappelli, secretário-executivo do MJSP.

últimas notícias

Categorias

Redes Sociais