Perícia conclui laudo de morte do motorista de ônibus incendiado, em João Pessoa

Vítima tinha mais de 50% de superfície corporal com queimaduras de 3º grau predominantemente em todo o corpo.

A Polícia Civil recebeu, nessa quarta-feira (30), o laudo pericial sobre o caso do motorista de ônibus, Silvano da Silva, de 48 anos, que morreu após ter mais de 50% do corpo queimado, num incêndio ao coletivo que dirigia em horário de trabalho.

À TV Correio, Flávio Fabres, médico legista que fez a autopsia no corpo do motorista do ônibus, disse que foi constatado no exame cadavérico que a vítima tinha mais de 50% de superfície corporal com queimaduras de 3º grau predominantemente em todo o corpo.

“A pele é o maior órgão do nosso corpo e quando a pele é afetada em 20%, altera a toda fisiologia e o equilíbrio do organismo. Foi essa queimadura na pele dele que abriu portas para estabelecer uma infecção. Ele morreu de uma infecção generalizada em decorrência das queimaduras”, explicou Flávio Fabres.

Ainda de acordo com o médico legista, a vítima tinha um ferimento contuso aberto na área frontal, que pode ter acontecido na hora que Silvano caiu. O laudo já está no sistema CCSI e está à disposição das autoridades policiais.

Relembre o caso

Na noite do dia 18 de julho dois homens armados invadiram o coletivo que faz a linha 600, entre os bairros de Bessa e Varadouro. Foi aí que eles atiraram garrafas com combustível e provocaram fogo no veículo.

As outras pessoas que estavam internadas com o motorista do ônibus ficaram em período de observação, mas receberam alta hospitalar logo depois. Silvano foi levado ao Hospital de Emergência e Trauma, ficou 11 dias internado, mas não resistiu aos ferimentos e morreu na madrugada do dia 30 de julho de 2023.

fonte: Portal Correio

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

últimas notícias

Categorias

Redes Sociais