Semam realiza monitoramento em mais de 1.780 árvores urbanas da Capital

A Prefeitura de João Pessoa, por meio de sua Secretaria de Meio Ambiente (Semam) dá continuidade ao monitoramento de árvores urbanas nas praças, parques e nas principais avenidas da cidade. Aproximadamente 1.780 espécies foram cadastradas. A meta é examinar cerca de duas mil árvores da Capital. O levantamento deve ser concluído no mês de outubro.

De acordo com o diretor de Controle Ambiental (DCA), da Semam, Anderson Fontes, são espécies que foram plantadas ou nasceram livremente em espaços como calçadas, praças, canteiros centrais e parques urbanos. Já foram coletadas informações de árvores nos bairros de Tambiá, Roger, Centro, Jaguaribe, Torre, Cruz das Armas, Expedicionário, Jardim Treze de Maio, Miramar, Pedro Gondim, Tambauzinho, Bairro dos Estados, além do Parque Solon de Lucena, Mercado Central e avenidas Tabajara, Getúlio Vargas e Eurípedes Tavares.

Profissionais da Divisão de Arborização e Reflorestamento (Divar/DCA) da Semam estão responsáveis pelas primeiras análises, diagnostico e avaliação sobre o estado fitossanitário das espécies em monitoramento. A equipe técnica é formada por dois agrônomos, um biólogo e uma engenheira ambiental.

“Durante os diagnósticos realizamos em destaques prospecções junto as feridas (cavidades) encontradas nas árvores para medirmos com mais clareza os tamanhos delas e com isso verificar as condições de saúde das árvores. Através destas prospecções verificamos se o tronco tem resistência residual para manter seguro a árvore”, explica.

Anderson Fontes ressalta que, durante as análises, é aplicado adubo foliar e adubação de cobertura junto ao colo (base do caule). O objetivo é fortalecer a árvore. “A finalidade do levantamento é traçar um diagnóstico sobre as condições de saúde dos indivíduos arbóreos em toda a cidade, elencando informações sobre a arquitetura da copa, tamanho dos galhos e inclinação de troncos”, esclarece

Segundo ele, cada árvore será classificada com um grau de risco, de acordo com orientações da Sociedade Brasileira de Arborização Urbana (SBAU). O resultado sobre o quadro de saúde de cada uma das árvores será registrado num laudo técnico emitido pela equipe responsável pelo trabalho.

No laudo técnico também são elencadas soluções para casos que apresentem problemas como necessidade de poda, tratamento fitossanitário, tratamento de cupins, fungos e remoções de árvores que apresentem elevado grau de risco.  

Segundo Anderson Fontes esse trabalho é feito em conjunto com a Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedurb). Após o levantamento feito pela equipe técnica da Semam, os laudos são encaminhados para a Diretoria de Paisagismo (DPAI), da Sedurb, para que essas demandas sejam incluídas no planejamento de atividades da Secretaria.

As principais árvores urbanas em estudo em João Pessoa são da espécie Ipês, Mangueiras, Jambeiros, Cassea Brasil, Caraibeira, Pau Brasil e Oitizeiro

últimas notícias

Categorias

Redes Sociais