Taxa de crescimento do mercado formal em João Pessoa supera a marca das capitais vizinhas

João Pessoa continua a exibir um cenário otimista em seu mercado de trabalho, superando a marca das capitais vizinhas, Natal e Recife, em termos de crescimento. É o que apontam os recentes números do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), divulgados pelo Ministério do Trabalho na última segunda-feira (2). De janeiro a agosto de 2023, a taxa de crescimento pessoense chegou a 2,62%, enquanto a das capitais do Rio Grande do Norte e de Pernambuco, respectivamente, ficaram em 1,21% e 1,99%.

O mês de agosto foi particularmente positivo, com João Pessoa gerando um saldo de 1.963 novos postos de trabalho, resultado de 8.677 contratações, diante de 6.714 demissões. Essa variação positiva representa um aumento de 1,09% no estoque de trabalhadores formais em nossa capital, que agora conta com 182.324 postos de trabalho ocupados.

Os principais impulsionadores desse crescimento em agosto foram os setores de serviços (+1.587), construção (+336) e comércio (+210). “Os setores da construção e serviços estão se destacando como verdadeiros motores da economia local, criando oportunidades e fortalecendo a estabilidade econômica”, explicou João Bosco, secretário executivo de Desenvolvimento Econômico e Trabalho de João Pessoa.

Ainda segundo ele, setores como a indústria (-163) e a agropecuária (-7) enfrentaram desafios. “No entanto, é relevante destacar que a agropecuária é uma atividade de pequeno porte no município, uma vez que João Pessoa é predominantemente urbana, sem uma zona rural significativa”, acrescentou.

Acumulado – No período de janeiro a agosto de 2023, a capital paraibana acumulou um saldo positivo de 4.658 novos empregos. Essa tendência positiva se estende ao período dos últimos 12 meses, de setembro de 2022 a agosto de 2023, quando observamos a criação de 7.830 empregos, considerando admissões e demissões.

Os setores que mais se destacam no acumulado de janeiro a agosto são a construção civil e os serviços, que cresceram respectivamente 4,48% e 4,34%. Além disso, o setor do comércio na cidade conseguiu reverter seu desempenho negativo, apresentando um crescimento de 0,11%.

“A entrada de novos empreendimentos na cidade, acompanhada das obras do Polo Cabo Branco e da crescente divulgação de João Pessoa como uma das capitais mais atrativas do Brasil, têm impulsionado os números do mercado de trabalho formal. Logo, com o aquecimento da construção civil e do setor de serviços, podemos prever resultados ainda mais promissores até o final do ano”, destacou João Bosco.

Resiliência – Em um contexto mais amplo, a taxa de desemprego em João Pessoa continua a ser uma das mais baixas dos últimos oito anos, com apenas 9,6%, em comparação com a taxa de desemprego de 10,4% na Paraíba, no 2º trimestre de 2023. “Isso destaca a resiliência da cidade diante dos desafios econômicos, e demonstra a capacidade de João Pessoa de criar um ambiente propício para o crescimento econômico e a geração de empregos”, concluiu Amadeu Fonseca, economista da Secretaria de Finanças da capital.

últimas notícias

Categorias

Redes Sociais